segunda-feira, 17 de novembro de 2008

Conversa experiente...

Minha avó (67) e sua tia (87) conversando numa bela manhã de segunda-feira...

- Mas por que ela não casa? Ela tem medo de servir de empregada doméstica?
- Mas o que ela quer? Ela acha que vai ter uma vida de princesa?
- Toda mulher que casa tem uma vida de doméstica, não tem, toda mulher...
- Mas pra ele tá bom assim né, tem mulher e não tem gastos...





Ps.: afff...

Obs.: Caras como o Nietzsche, ou o Rousseau, apesar de terem sido grandes "pensadores" eram fruto da sua época e condicionados à mesma. Expressão disso são suas opiniões sobre a mulher, quando para eles ESTA tinha menos valor que o homem, era inferior. Ninguém é isento do seu contexto, nem imune aos limites epistemológicos.


[Por mim mesma, K.]

5 comentários:

Vagner Heleno disse...

o contexto cabe perfeitamente numa métrica newtoniana de mêcanica reacionária, não inerte nem obstante, tamanha crueldade dos dias, que outrora nos corromperam, não é suficiente quando a epidemia caótica dos dias de hoje e os povindos dias se espalha. não contente e sem conteúdo, a tevê põe em cheque e em xeque qualquer parâmetro de "ismo" que se possa tem, acho mesmo é que eu vou comer um pão com a mesma boca que todos comem, com a da cara... bom dia... hehehe

Cristian disse...

Gostei do seu blog, te achei atraves do blog do Verme ( amigão )e agora vejo que conhece o Vagner ( amigão 2 ), te convido a conhecer o meu; www.oquefazofeito.blogspot.com é um diário virtual.
Abraço

Eu Lyrico E Eu Épico disse...

K, poxa nao pensei te achar aqui,
muito bom poder ler tuas opinioes e pensamentos, voltarei sempre.


beijoos
Daniii

Elenilton disse...

Oi..
você está certíssima..a filosofia está carregada de machismo. Mas sabe que tem, em relação ao Nietzsche, alguns problemas de tradução..alguns comentadores e comentadoras agora já estão dizendo que muitas coisas que ele dizia em relação à mulher podem ser relativas a um determinado "tipo" de mulher.. Muitas vezes a tradução pode complicar; mas é claro que ele não foge de seu tempo (embora fosse tudo que queria).
Besos,
Elenilton.

Eduardo Verme disse...

Dou um real pra quem me explicar o que o Vagner quis dizer.

Bom, nos dias de hoje mesmo possuimos uma série de preconceitos e defeitos (e mais um monte de outras coisas) inerentes à nossa condição atual de pensarmos com nosso pensamento contemporâneo. Mas por uma espécie de "blindagem emocional" não conseguimos enxergar isso. Ás vezes até conseguimos, mas fazemos vista grossa.

Que tri, tu é amiga do Elenilton. Estudei história com esse figura, ele é demais.